Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Vim para o estrangeiro
Qui 23 Abr 2015 - 15:27 por Marina Coelho

» O nosso cão corresponde às nossas expectativas?
Sab 12 Out 2013 - 13:00 por Inês Lima

» Atitude agressiva, ajuda!
Sex 27 Jul 2012 - 8:59 por floijdt

» O CÂO DE PASTOR ALEMÃO
Qui 12 Abr 2012 - 14:38 por canil daktari

» Problemas de comportamento...
Qui 22 Mar 2012 - 9:07 por Careto Chinês

» American Staffordshire Terrier agressivo com os donos
Sab 3 Mar 2012 - 9:04 por floijdt

» American Staffordshire Terrier
Ter 28 Fev 2012 - 17:46 por tonny

» Comportamento
Qua 16 Nov 2011 - 13:20 por Julieta Silva

» Cadela e as necessidades
Seg 14 Nov 2011 - 9:55 por floijdt

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar

Coprofagia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Coprofagia

Mensagem  floijdt em Qua 14 Jan 2009 - 11:21

Vim a descobrir recentemente que a minha cadela, não sempre, mas com frequência, come as próprias fezes. Mesmo quando estou perto. Já tentei obter o máximo de informação possível, mas não encontrei nenhuma resposta certa do porquê?
Aquilo que faço neste momento é tentar não a repreender, mas nem sempre é fácil.

Antecipadamente grato pela vossa ajuda,

Vitória
_____________________________________

A coprofagia é um comportamento anómalo que se traduz no acto de os cães ingerirem as suas próprias fezes ou as de outros animais.

Este comportamento só é normal em mães em fase de amamentação que ingerem as fezes e urina dos seus cachorros com o objectivo de limpar o ninho e de evitar a propagação de odores a fim de não atraírem os predadores. Em todas as outras situações este é um comportamento anormal mas não patológico.

Causas

As causas deste comportamento podem ser várias, sendo que, os próprios investigadores não são unanimes nas suas conclusões. De seguida descrevo as teorias definidas pelos referidos investigadores e no fim direi qual a minha própria, baseada em experiências que já tive tanto com cachorros como com cães adultos:

- Enfermidades, tais como parasítoses, intoxicação por chumbo, insuficiência pancreática e qualquer processo que afecte a amígdala que é a estrutura do SNC (Sistema Nervoso Central) encarregue da selecção de alimento. Como exemplo deste último temos o vírus da raiva, que por vezes se aloja neste orgão.

- Carência de elementos nutritivos como o ferro, vitamina B ou zinco

- Conduta reforçada pelo dono. O cão fá-lo para chamar a atenção do dono ou para evitar ser castigado se este vê as fezes.

- Pode igualmente dever-se ao ambiente vivido pelos cachorros durante a amamentação. Isto implicaria que o cachorro fixa comportamentos como o de estar em ambiente sujo da caixa parideira e comendo no mesmo local, como tal associa as fezes à ingestão de alimentos. Por vezes também as poderá associar a condutas exploratórias e lúdicas mordendo-as e jogando com elas. Também se tem especulado com a ideia de que associe o hálito da mãe que ingere as fezes, com o odor da comida.

- Situações de deficiência nutricional, má nutrição ou fome. É suposto que em condições em que o cachorro esteja mal alimentado ou com fome ingira as suas fezes para sobreviver. Assim como uma dieta desequilibrada ou de baixa qualidade poderia influir numa conduta de ingestão das próprias fezes ou de outros.

- Como meio de aproveitar enzimas digestivas presentes nas fezes como é o caso do ácido deoxicólico que diminui o risco de enterites e facilita a assimilação dos ácidos gordos.

A minha teoria em relação a este problema é a seguinte:

- Resposta a situações de stress devidas a confinamento a espaços reduzidos com total ausência de estímulos, e a consequente restrição de movimentos e de interacção social.

Tratamento

Em primeiro lugar deve de se fazer um check-up total ao cão para despistar eventuais problemas orgânicos que possam existir.

No caso das funções orgânicas se encontrarem em perfeitas condições e que tenha sido descartado também a possível causa de uma alimentação deficitária ou de baixa qualidade, centrar-nos-emos nas outras possíveis causas deste comportamento.

Ao animal deve ser proporcionado um ambiente rico em jogos interactivos, uma rotina fixa que inclua saídas ao exterior para fazer as suas necessidades e adestramento em obediência com enfoque no comando “larga”.

Como é lógico o ambiente do cão deve ser o mais higiénico possível eliminando as fezes rapidamente. Se temos vários cães seria útil utilizarmos uma câmara de vídeo para podermos averiguar o causador ou responsável por esta conduta.

Para eliminar este comportamento utiliza-se o fenómeno da aversão alimentar que consiste no seguinte: cobre-se as fezes com uma substância desagradável para o animal quer seja pelo odor ou pelo sabor e que provoque vómitos ou dores abdominais. As consequências gastrointestinais subsequentes sofridas pelo cão devido à ingestão das fezes cobertas por esses produtos, farão com que o animal condicione que sofrerá consequências se as ingerir e não queira provar de novo.

Conclusão

O tema é muito polémico mesmo entre os estudiosos da matéria. Não há receitas milagrosas o que deve haver é um cuidado emergente em proporcionar ao cão o máximo de estímulos positivos e que viva num meio o mais higiénico possível.

Sílvio Pereira
_______________________________________

Bom dia Silvio,

Em relação à minha cadela, aquilo que posso dizer é que, no seguimento dos problemas intestinais que relatei num outro post, lhe foram feitos vários testes pela veterinária e não se conseguiu encontrar uma causa directa para a coprofagia.
A conselho da veterinária estou a dar diariamente um comprimido vitaminico (não me recordo o nome). Irei dar-lhe as vitaminas durante 30 dias.
Quanto à sua teoria para o problema passo a relatar a minha realidade:
A cadela tem neste momento 10 semanas (nasceu a 19/08/2007).
Veio para minha casa com 8 semanas.
No mesmo dia adquiri um gato - um Main Coon.
Desde o primeiro dia que estão os dois permanentemente juntos. Entendi ser melhor nunca os separar.
Durante este tempo, ambos estão sozinhos durante 6/7 horas dia.
A ração que lhe dei foi a ração que estava habituada a comer - Nutro (aquela que é exclusiva dos criadores e não se vende ao público) e Eukanuba Intestinal (no seguimento dos problemas intestinais.
Existem inúmeros brinquedos à disposição.
De salientar que a labradora pouco ou nada liga aos brinquedos, preferindo mil vezes as minhas mãos...
O espaço disponível para ambos os animais é de sensivelmente 30 metros quadrados (isto quando estão sozinhos.
Quanto à questão da higiene, apenas não existe um controle absoluto durante os períodos em que estou ausente e durante a noite. Ela vai à rua, mas ainda de forma muito controlada (só dia 17/11 irá tomar a terceira vacina). Já faz as necessidades na rua, mas também em casa, principalmente em casa.

Tenho duas questões relativamente ao que referiu, a primeira é a questão da aversão alimentar. Como faria isso? Que produto utilizar? Devido quer à idade quer aos problemas intestinais recentes não será perigoso?
A mesma questão relativamente ao referido, não por si, em relação à levedura de cerveja, não será perigoso? Se não, recomenda que tente?

Do que pesquisei na net também cheguei à conclusão que não existe consenso em relação à coprofagia, mas uma das teorias que li despertou-me a atenção.
Alguém referiu que as crias menos activas numa ninhada teriam - supostamente - menos acesso à comida. Por isto seriam levadas a ingerir as próprias fezes.
No meu caso em concreto, quando escolhi o cachorro haviam 4 machos e 2 cadelas, eu escolhi a mais calma e quieta das duas...

Mais uma vez obrigado,

Vitória
____________________________________

Boa noite Vitória:

Um produto que recomendo para induzir a aversão alimentar é o óleo de ricino. É um produto com um odor e um sabor muito desagradável e também um excelente laxante, é perfeitamente inóquo e de fácil aquisição nas farmácias. É um produto que os nossos pais tomavam para se purgarem, quando eram crianças. Uma vez que o seu cão tem disfunções intestinais frequentes aconselhava-o a consultar um veterinário antes de iniciar o tratamento.

Boa sorte.

Sílvio Pereira
avatar
floijdt

Mensagens : 82
Data de inscrição : 22/12/2008
Localização : Vale de Lobos - Sintra

Ver perfil do usuário http://www.dobermann-pt.com/ccvl

Voltar ao Topo Ir em baixo

Coprofagia

Mensagem  Catarina Marinheiro em Sex 16 Jan 2009 - 9:21

Boa tarde,

Acredito que algumas das teorias mencionadas se apliquem e façam sentido nalgumas situações,mas com certeza não explicam todas.
Parecem-me respostas a situações concretas, que não se aplicam a todos os cães e não explicam todas as situações em que ocorre este fenómeno.
Por exemplo:
Tendo em conta que vários casos, ocorrem em casas onde as rações são normalmente o alimento privilegiado (deitam por terra as teorias sobre a falta de vitaminas ou enzimas, pois a maior parte das rações está estudada para conter todos os nutrientes necessários a uma alimentação rica e saudável).

Há uma questão que me inquieta em relação a este assunto.

Os cães não comem apenas as suas próprias fezes,mas também as dos outros. No meu caso, a minha cadela nunca comeu as suas fezes, mas comia as fezes do meu gato (com muito pouca frequência,pois eram removidas constantemente).
Neste caso, deita por terra a teoria supramencionada de "comportamentos fixados pelos cachorros na fase da amamentação em que associa o facto de estar no ambiente sujo da caixa parideira e comer no mesmo local,ou mesmo de associar as fezes como alimento ao hálito da mãe"
As fezes de um gato não têm o mesmo cheiro que as de um cão, nem terão o mesmo tipo de elementos nutritivos.

A questão é: No caso de não ingerirem as suas próprias fezes,mas sim as dos outros animais da casa,não será possível ser devido a não admitirem outro cheiro no seu território?Como se de um intruso se tratasse? Ou mesmo como instinto de protecção, há semelhança do que faz a mãe na fase da amamentação (comer as fezes para proteger o território de eventuais predadores ou deixá-lo limpo) ?

Para aqueles que têm cães e gatos e com os mesmos problemas que eu (em que a cadela ingere as fezes do gato), podem tentar uma das seguintes soluções:

- Colocar a liteira num ponto mais alto (onde apenas o gato tenha acesso)

- Utilizar uma liteira fechada e se o cão se tentar aproximar, reforçar com o comando "Não". Esta resultou no meu caso!!!

Bem sei que não resolve a questão principal : O Porquê.
Mas até se encontrar a resposta, é uma forma de contornar o problema.

Cumprimentos,

Catarina Marinheiro flower

Catarina Marinheiro

Mensagens : 10
Data de inscrição : 27/12/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Coprofagia

Mensagem  M_M em Dom 18 Jan 2009 - 13:37

Tendo em conta que vários casos, ocorrem em casas onde as rações são normalmente o alimento privilegiado (deitam por terra as teorias sobre a falta de vitaminas ou enzimas, pois a maior parte das rações está estudada para conter todos os nutrientes necessários a uma alimentação rica e saudável).

Não nos podemos esquecer que nalgumas rações, que até parecem ser equilibradas, os níveis de proteínas são aumentados com adição de soja, que embora seja muito rica em proteína esta proteína não é digerida pelos cães... Tão importante como a composição das rações é a digestibilidade. Mesmo com rações de alta qualidade, temos cães que não reagem bem e podem não estar a conseguir retirar os nutrientes necessários com a alimentação e estarem a comer as suas fezes como forma de tentarem compensar.

Eu penso que os casos de coprofagia têm de ser analisados caso a caso. A questão da dieta é sempre uma hipótese a descartar/confirmar e depois analisar os restantes factores...

Um abraço,

Marco Matos

M_M

Mensagens : 5
Data de inscrição : 29/12/2008
Idade : 40
Localização : Belas-Sintra

Ver perfil do usuário http://mpfbm.pt.vu

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Coprofagia

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum